Análises Foliares ou a Outros Tecidos Vegetais

As plantas absorvem nutrientes essenciais para o seu crescimento através do ar, solo e da água de rega. No entanto, a quantidade de nutrientes disponíveis pode ser afetada por diversos fatores como a qualidade do solo e da água utilizada e o tipo de planta. Cada mineral tem uma função específica para a vida das plantas e o excesso ou défice destes elementos podem produzir efeitos negativos, como a falta de vigor e um menor rendimento. Apesar da aparência da cultura poder ser boa, é possível que os minerais não se encontrem em níveis ótimos. Neste sentido, a análise foliar é uma importante ferramenta de diagnostico que permite avaliar o estado de nutrição de cada planta/cultura, a sua utilização assenta na relação existente entre a concentração de nutrientes nas folhas em determinada fase do ciclo vegetativo, e a produtividade da cultura, tendo por base valores de referência específicos para cada variedade, permitindo determinar quais os nutrientes que estão em deficiência, em excesso ou em nível adequado. A análise foliar:

  • Complementa a análise ao solo com o objetivo de estabelecer e gerir adequadamente a fertilização ao longo dos anos.
  • Permite identificar o estado de desequilíbrio de carência ou toxicidade de um nutriente.
  • É possível verificar se a aplicação de nutrientes ao solo está ou não a ser utilizada pela planta.
  • É facilmente verificada e identificada a interação entre nutrientes.

Para deste modo, efetuar as correções necessárias ao melhor desenvolvimento da cultura.

O LAGRA desenvolveu o LabFol que disponibilizará a concentração dos principais nutrientes existentes nas plantas e, consequentemente, tomar as melhores decisões de fertilização para cada cultura, potenciando a utilização dos fertilizantes, reduzindo custos e incrementando o resultado líquido da exploração.
O LabFol consiste na análise a Azoto Total, Potássio, Fósforo*, Cálcio, Magnésio, Enxofre, Ferro, Manganês, Zinco, Cobre, Boro, Relação N/S, Relação P/Zn.

 

PARÂMETRO MÉTODO DE ANÁLISE
Azoto Destilação Kjeldahl (volumetria)
Fósforo* PT29Ed2 26/2/18 EAM UV/vis
Potássio, Cálcio, Sódio, Magnésio EAA
Ferro, Manganês, Cobre, Zinco EAA
Boro Método da Azometina H (EAM UV/vis)
Enxofre Turbidimetria
Relação N/S, Relação P/Zn Cálculo

* Parâmetro acreditado

 

Colheita de Amostras Foliares

Periodicidade e época de colheita

Na colheita de material vegetal para análise, tendo em vista o diagnóstico do estado de nutrição das culturas, deverão observar-se as seguintes regras:

  • Colher a parte da planta a analisar de acordo com a espécie em causa e época mais adequada, conforme adiante se indica.
  • Na falta de instruções concretas e, como regra geral, no caso das plantas anuais, deverão colher-se as folhas mais novas completamente desenvolvidas, um pouco antes ou no início da floração.

 

Procedimento

O material vegetal deve estar limpo de terra e pesticidas, ser isento de doenças e pragas, etc. Deve ser entregue no próprio dia de colheita ou no dia seguinte. No último caso o material deve ser guardado em frigorífico, a uma temperatura de 4 a 6º C.

Cultura Época da Colheita Órgão ou parte da planta a colher Nº de plantas para formar amostra
Abacateiro Setembro/Outubro Folhas completamente desenvolvidas, com 5 a 7 meses de idade, de ramos não frutíferos 15
Amendoeira Meados da estação de crescimento Folhas do terço médio dos ramos de crescimento do ano inseridos à mesma altura da copa 15
Cereais (Outono/Inverno) Até ao filhamento Toda a parte aérea 40-60
Imediatamente antes ou no +inicio do do emborrachamento Duas primeiras folhas a contar do topo da planta 30-40
Citrinos Setembro/Outubro Folhas inteiras com 4 a 7 meses, de raminhos não frutíferos da rebentação da Primavera, inseridos à mesma altura da copa 15
Milho Com cerca de 30cm de altura ou à 4ª folha Toda a parte aérea 40-60
Fase anterior ao embandeiramento Folha mais nova completamente desenvolvida 15-20
Até ao aparecimento das “barbas” ou enquanto estas se mantiverem verdes Folha abaixo e oposta à espiga (espiga mais velha) 15-20
Macieira 90 a 120dias após a plena floração Folhas do terço médio dos lançamentos do ano inseridos à mesma altura da copa 15
Nogueira Meados da estação de crescimento (Jul/Ago) Par de folíolos da parte central da folha do terço médio dos lançamentos do ano inserido à mesma altura da copa 15
Oliveira Endurecimento do caroço (Jul/Ago) Folhas inteiras e sãs do terço médio dos lançamentos do ano inseridos à mesma altura da copa 15
Repouso vegetativo(Dez/Jan)
Pereira 100 a 110 dias após a plena floração Folhas do terço médio dos lançamentos do ano inseridos à mesma altura da copa 15
Videira Plena floração (75% plantas com a maior parte das flores abertas, prontas a ser fecundadas Folhas opostas ao cacho basal, com pecíolos, inseridas no terço médio do braço. Destacar os pecíolos ainda na vinha 40

 

Documentos de apoio: